por paulo eneas
Quando não está atentando contra a soberania nacional brasileira, fazendo ameaças explícitas ao nosso país, ou articulando com políticos brasileiros que atendem aos interesses do lobby do Partido Comunista Chinês, a agente comunista blindado por credencial diplomática, Yang Wanming, dedica um tempo a cultuar um genocida: Mao Tsé-Tung, o carniceiro que implantou a ditadura comunista na China e que foi responsável pelo genocídio de milhões de chineses nos primeiros anos do regime.

Em uma publicação feita nesta quarta-feira (25/11) em sua rede social, o agente comunista com credencial diplomática reproduziu um poema do genocida Mao Tsé-Tung datado de janeiro de 1963. Na peça pseudoliterária, o genocida refere-se às demais nações do mundo como sendo meras formigas ou insetos, que vivem na ilusão de serem uma nação, e que serão exterminadas como pragas pela força irresistível da poderosa ditadura comunista chinesa. Nada pode ser mais representativo da mentalidade criminosa de um agente comunista. Colaboração de Tatiana Carvalho.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE