por angelica ca
Um grupo com cerca de trinta criminosos armado com arsenal de grosso calibre invadiu e assaltou uma agência do Banco do Brasil no Centro de Criciúma (SC) no início da madrugada desta terça-feira (01/11). O ataque durou mais de uma hora e e espalhou terror pela cidade, que tem cerca de 217 mil habitantes.

Os criminosos fizeram bloqueios em vários pontos da cidade para frear a reação das polícias Civil e Militar e usaram reféns nas proximidades para bloquear ruas. “As vítimas foram colocadas sem camisa na faixa de pedestre”, afirmou o delegado de polícia.

Em uma ação orquestrada, a quadrilha também atacou um Batalhão da Polícia Militar e incendiou um caminhão em frente ao batalhão com objetivo de inviabilizar a saída de viaturas. Conforme informado pela Polícia Militar, o grupo chegou a incendiar um túnel na cidade de Tubarão, que dá acesso a Criciúma, para tentar impedir que reforços chegassem até o local do assalto. O grupo também ateou fogo em um veículo.

De acordo com um dos delegados responsáveis pela investigação, Anselmo Cruz, a quadrilha portava fuzis e uma arma capaz de derrubar aeronaves:

“Eles usaram fuzis calibre .556 e calibre .762, que já foram identificados. Além de algo que para outros países é inacreditável: um armamento calibre .50 de uso restrito das Forças Armadas. Identificamos uma arma capaz de perfurar blindados e de ser usada em ações antiaéreas”, afirmou Anselmo.

Cerca de 30 quilos de explosivos não detonados foram deixados no local do assalto. O batalhão antibombas da Polícia Militar foi acionado, bem como a divisão antirroubos e sequestro. Ainda não há, até o momento, estimativa sobre quanto foi roubado pelos bandidos. No entanto, pelo menos R$ 340 mil foram recuperados em duas mochilas abandonadas e, posteriormente, roubadas por moradores locais.

“Fui acionado por volta da meia-noite. Quando chegamos, populares estavam furtando parte do dinheiro que havia sido abandonado pelos criminosos. Quatro indivíduos acabaram foram presos, com os valores dentro de seus apartamentos”, disse o delegado da Polícia Civil de Santa Catarina, em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional. Diligências e perícias estão sendo feitas no banco:

“Há equipes analisando filmagens e câmeras de segurança. Muitos disparos foram efetuados no centro da cidade e vários prédios e construções foram alvejados”, acrescentou o delegado Ulisses Gabriel, responsável pela investigação.

Os criminosos fugiram da cidade em comboio em cerca de dez veículos e seguiram em direção ao município de Nova Veneza, localizado a cerca de 10 quilômetros de Criciúma, onde teriam abandonado os carros e tomado outros veículos. Informações de Agência Brasil, Metrópoles e Agora Notícias.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE