por paulo eneas
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ingressou no Supremo Tribunal Federal nesta quarta-feira (09/12) para reforçar o lobby pró-vacinas à revelia das questões de segurança e eficácia. A entidade pleiteia que a compra e o fornecimento de vacinas contra a covid fiquem asseguradas caso a Anvisa não autorize os imunizantes em até 72 horas.

A OAB argumenta que essa dispensa deve valer para as vacinas já registradas em renomadas agências de regulação no exterior, e afirma que este mecanismo já está previsto na chamada Lei Covid, aprovada pelo Congresso Nacional no início da pandemia. A ação pede ainda que o Supremo declare a plena vigência e aplicabilidade desta legislação.

A ação da OAB vem reforçar o gigantesco lobby que tem havido em favor das vacinas para covid. Lobby este que ignora por completo as questões de segurança e eficácia, já apontadas por inúmeros médicos brasileiros e do exterior. Esse lobby pretende reduzir a Anvisa a um órgão cartorial chancelador da big pharma, deixando de lado os critérios técnicos e científicos que devem guiar a atuação da agência. Colaboração Camila Abdo


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE