por angelica ca
A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em São Paulo (Abrasel-SP) anunciou que vai entrar com uma ação na Justiça contra as medidas draconianas estabelecidas pelo governador do Estado de São Paulo, João Dória, com pretenso objetivo de frear o avanço do vírus chinês.

Em entrevista ao jornal Metrópoles, o presidente da Abrasel-SP, Percival Maricato, declarou que o setor está sempre fazendo o dever de casa, cumprindo os protocolos para conter o avanço do vírus e que, neste momento, é o único punido.

Percival Maricato classificou as novas medidas draconianas anunciadas na última sexta-feira (11/12) pelo desgoverno de São Paulo como injustas e improdutivas no combate à pandemia do vírus chinês, e disse que proibir a bebida é inconstitucional.

“É uma intervenção por demais violenta na propriedade privada e na liberdade econômica. E não resolve nada. Isso também é inadmissível, porque não resolve”, afirmou Maricato.

Ao criticar o governo tucano, o representante da entidade lembrou que as novas regras curiosamente estão sendo impostas após as eleições, e alegou que não houve conversa com o setor antes da nova restrição. O dirigente afirma que seria necessário um diálogo com sindicatos, associações de bairro e igrejas para discutir as novas regras.

De acordo com Maricato, a Abrasel-SP vai entrar com uma ação nesta segunda-feira (14/12) para tentar reverter o abuso das novas restrições. “Não há qualquer estudo que fundamente esse absurdo”, disse o presidente da entidade.

O governador tucano paulista anunciou durante entrevista coletiva na última sexta-feira (11/12), sobre a pandemia, que a partir deste sábado bares devem fechar às 20 horas enquanto os restaurantes terão funcionamento até às 22h, porém com a venda de bebida alcóolica restrita até às 20h. Informações de Metrópoles.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE