por angelica ca e paulo eneas
Um profissional da área de saúde no Alaska apresentou uma reação alérgica grave após receber a vacina contra a covid produzida pelo Laboratório Pfizer, segundo informa o jornal The New York Times nesta quarta-feira (16/12). A reação alérgica ocorreu na terça-feira e a pessoa estava em condição estável após ser hospitalizada. Não ficou claro se a pessoa tinha histórico de reações alérgicas.

O Serviço Nacional de Saúde Britânico havia emitido um alerta na semana passada recomendando que as pessoas com histórico de alergias não devem tomar as vacinas da Pfizer/BioNtech. O alerta foi dado após dois funcionários do sistema de saúde britânico terem apresentado reações alérgicas.

Por sua vez, a  Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos aconselhou na semana passada as pessoas com histórico de reações alérgicas a consultar seus médicos para se certificar de que não são alérgicas a nenhum dos componentes da vacina.

O diretor de biologia da FDA, Dr. Peter Marks, orientou as mulheres grávidas ou que estejam amamentando e tenham histórico de reações alérgicas significativas, bem como aquelas com submetem-se a terapias imunossupressoras, que também procurem um médico antes de tomar a vacina da Pfizer.

Este episódio, bem como inúmeros outros relatos similares que surgem diariamente tanto na imprensa quanto nas redes sociais, ilustram a verdadeira aventura e o salto no escuro a que a humanidade está submetida por conta de vacinas produzidas em tempo recorde e sem qualquer garantia de eficácia contra a própria covid e sem garantia de segurança no que diz respeito aos seus efeitos colaterais. Informações de Reuters e New York Times.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE