por angelica ca e paulo eneas
Reportagem publicada nesta terça-feira (15/12) pelo jornal britânico The Guardian denuncia que o regime comunista chinês estaria usando as redes de telefonia celular no Caribe para realizar operações de espionagem contra os norte-americanos. A matéria do The Guardian é assinada por Gary Miller, especialista em segurança cibernética.

De acordo com a reportagem, a China vem explorando há décadas as vulnerabilidades da rede mundial de telecomunicações para efetuar ataques cibernéticos através das operadoras de telecomunicações. Estas operações de ataque são realizadas por meio de técnicas de envio de sinais simples, que são parte integrante do funcionamento das redes de telecomunicações no mundo.

Estes sinais são comandos enviados por operadoras de telecomunicações em toda a rede global, sem que o usuário de telefone celular tome conhecimento. Os sinais de comando permitem que as operadoras localizem telefones celulares, conectem usuários de telefones celulares uns aos outros e avaliem as tarifas de roaming. Alguns sinais podem ser usadas para fins ilegítimos, como rastreamento, monitoramento ou interceptação de comunicações, explica a reportagem.

Segundo Miller, é possível realizar um ataque por meio do envio destes sinais que, enviados centenas ou milhares de vezes adquirem a característica de uma uma operação de vigilância sobre os dispositivos alvo destas ações. Ainda segundo Miller, a operação permite então a coleta de dados para fins de inteligência de informação, e ocorre principalmente contra dispositivos de pessoas que estão em viagem ao exterior. Informações do The Guardian


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE