por angelica ca e paulo eneas
O Parlamento da Nicarágua, dominado pelo ditador comunista Daniel Ortega, aprovou na última segunda-feira (21/12) por ampla maioria de votos um projeto de lei que impede a participação da oposição nas eleições gerais do país no ano que vem. A lei ainda desqualifica quem solicitar sanções estrangeiras contra a Nicarágua.

O projeto de lei que impede a nomeação de candidatos da oposição para as eleições gerais do próximo ano foi encaminhado pelo próprio ditador nicaraguense Daniel Ortega à Assembleia Nacional, controlada pelo regime.

Em sessão extraordinária, a bancada sandinista de 70 deputados aprovou a “Lei de Defesa dos Direitos do Povo à Independência, Soberania e Autodeterminação pela Paz”, que estabelece a proibição de candidaturas a cargos eletivos aos nicaraguenses que supostamente incitem a ingerência estrangeira, que “exijam, exaltem ou aplaudam a imposição de sanções ao regime”, que “alterem a ordem constitucional”, entre outros.

Pela norma, aqueles que o governo considerar como sendo “golpistas” ou “terroristas” ficam impedidos de concorrer a cargos públicos e eletivos pelo povo. A lei consolida de modo definitivo o regime ditatorial do Foro de São Paulo na Nicarágua. Informações de Infobae e La Derecha Diario.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE