por angelica ca e paulo eneas
O Facebook e o Twitter perderam em conjunto US$ 51.2 bilhões em valor de mercado nas duas últimas sessões de negociação nas bolsas de valores após banimento do presidente norte-americano Donald Trump de suas respectivas plataformas de rede social.

O banimento do chefe de governo norte-americano foi a mais ousada demonstração de força e de capacidade de cercear a liberdade de expressão por parte das duas gigantes monopolistas, e também foi seguido por uma censura generalizada a outros usuários.

Quando os mercados fecharam nesta terça-feira (12/01), a capitalização de mercado do Facebook estava US$ 47.6 bilhões, enquanto a capitalização de mercado do Twitter havia caído em US$ 3.5 bilhões.

O Facebook havia caído 4% na segunda-feira e outros 2.2% na terça-feira, com os acionistas se desfazendo das ações, provavelmente temendo que a proibição pudesse afastas outros usuários da plataforma. Por sua vez, o Twitter despencou 6.4% no início da semana e caiu outros 2.4% em seguida, enquanto a liquidação continuava no fechamento de terça-feira.

Ambas as empresas alegaram suposto risco de violência para justificar o banimento de Donald Trump. Um alegação mentirosa e infundada que não convenceu os investidores, que começaram a desfazerem-se dos títulos das duas companhias.

Na quarta-feira (13/01), o YouTube, controlado pelo Google, removeu novo conteúdo da conta do mandatário norte-americano e suspendeu seu canal por pelo menos uma semana. Também nesse caso, alegou-se falsamente violação de políticas da companhia e suposta incitação à violência.

O presidente norte-americano argumentou que empresas como Google, Twitter e Facebook irão à falência devido à censura. “As Big Techs estão fazendo uma coisa horrível ao nosso país, e acredito que será um erro catastrófico para elas”, afirmou Donald Trump também na quarta-feira, antes de embarcar para evento junto muro na fronteira mexicana. Informações de Business Insider e  The Epoch Times


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE