por angelica ca e paulo eneas
A ministra da Justiça da Hungria, Judit Varga, afirmou nesta segunda-feira (18/01) que é necessário aplicar sanções às empresas que controlam as redes sociais por conta do que ela chamou de abusos sistemáticos contra a liberdade de expressão praticados por estas empresas. A medida poderá ser tomada em vista das frequentes restrições de visualizações de determinados conteúdos impostas pelas redes.

A ministra húngara afirmou em tom de denúncia que as opiniões cristãs, conservadoras e de direita estão tendo seu alcance limitado pelo Facebook e pelo Twitter. A ministra fez esta denúncia na própria rede social, onde ela tem cento e vinte mil seguidores somente na plataforma do Facebook.

Judit Varga informou que realizará esta semana uma reunião extraordinária com o Comitê de Liberdade Digital da Hungria para discutir possíveis penalidades para o que ela descreveu como práticas comerciais desleais das empresas controladoras das redes. A ministra afirmou também que o órgão fiscalizador da concorrência do governo húngaro poderá ser acionado.

A ministra húngara defendeu que a questão da liberdade de expressão nas redes sociais precisa ser regulamentada no escopo da União Europeia. Mas adiantou que alguma ação imediata precisa ser tomada devido aos abusos sistemáticos praticados pelas empresas controladoras das redes sociais.

Os comentários de Judit Varga foram feitos dias depois que a aliada Polônia também sinalizou uma possível ação contra grandes empresas de tecnologia, quando o ministro da Justiça polonês afirmou que as empresas que removerem postagens segundo critérios próprios poderão ficar sujeitas a penalidades legais. Informações de Olhar Digital e World Sock Market


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE