por angelica ca e paulo eneas
O Governo da Noruega abriu na semana passada uma investigação para a apurar as circunstâncias da morte de vinte e três pessoas que tomaram a vacina experimental da Pfizer contra a covid. De acordo com relatos da mídia norueguesa, cerca de treze destas mortes foram diretamente relacionadas aos efeitos colaterais da vacina contra o coronavírus.

Os relatórios indicam que os efeitos colaterais comuns das vacinas de mRNA, como febre e náusea, podem ter causado a morte de alguns pacientes mais debilitados, segundo afirma o Dr. Sigurd Hortemo, médico-chefe da Agência Norueguesa de Medicamentos. Todas as mortes ocorreram em pacientes idosos, com oitenta anos ou mais, e debilitados, residentes em asilos.

Segundo informou o diretor médico da Agência Norueguesa de Medicamentos Madsen, deste total de óbitos, nove resultaram de efeitos colaterais graves da vacina, e sete foram decorrentes de efeitos colaterais menos graves. Entre os efeitos colaterais estavam febre alta e mal-estar, que evoluíram para alguma doença grave que resultou nas mortes.

Os nove pacientes que apresentaram efeitos colaterais graves reclamaram de reações alérgicas, forte mal-estar e febre intensa. Os sete efeitos colaterais menos graves incluíram dor intensa no local da injeção.

No final do mês de dzembro, a Noruega deu início ao programa de vacinação em massa no país, utilizando a vacina experimental contra a covid produzida pela Pfizer BioNTech. Informações de Great Game India


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE