paulo eneas
O proto-ditador tucano paulista João Doria está instrumentalizando politicamente e eleitoralmente as vacinas contra a covid. Sua ações consistem basicamente na transformação de uma tragédia que tem afetado a vida e os empregos de milhões de brasileiros em uma plataforma para seus projetos pessoais de poder político.

Todas as ações que João Doria, um dos piores governadores que o Estado de São Paulo já teve, tem tomado em relação à pandemia do vírus chinês são meticulosamente calculadas para gerar efeito midiático, independentemente da efetividade destas ações para o combate ao coronavírus e independentemente da fundamentação científica de cada uma delas.

João Doria já havia deixado claro sua intenção de manipular politicamente a pandemia logo no início do ano, quando mandou construir hospitais de campanha. Construídos sem qualquer planejamento, estes hospitais em poucos meses tornaram-se subutilizados, e por fim foram fechados. O saldo desta pirotecnia midiática de João Doria foi um gigantesco desperdício de recursos públicos, e resultados nulos em termos de combate à pandemia.

João Doria também valeu-se da pandemia para fazer embate político rasteiro, o único que este político tucano sabe fazer, contra o Presidente Bolsonaro. Para isto, sabotou o acesso ao tratamento precoce no Estado de São Paulo. Esta sabotagem criminosa custou a vida de milhares de paulistas, a quem foi negada a possibilidade de tratar-se nos estágios iniciais da covid.

João Doria é e tem sido o responsável pela quebradeira econômica generalizada no Estado, causada por seus insanos decretos de fechamento e lockdowns que têm destruído a economia paulista, que responde por cerca de um terço do PIB nacional. Estas medidas não têm base científica, pois não impediram que o Estado de São Paulo viesse a registrar o índice mais elevado de casos e de óbitos decorrentes da covid.

A mais recente pirotecnia irresponsável de João Doria foi realizada nesta segunda-feira (25/01) e reuniu os ex-presidentes José Sarney, Fernando Henrique Cardoso e Michel Temer em uma entrevista coletiva a pretexto da vacinação contra a covid. A coletiva na verdade foi um desfile de frases de efeito, desprovidas de qualquer conteúdo informativo relevante para o público no que diz respeito à pandemia.

O vazio de relevância informativa da coletiva mostrou que o tucano João Doria organizou um evento com ex-presidentes unicamente para fazer sua promoção política em torno de uma vacina que ele promoveu, e que apresenta somente cinquenta por cento de eficácia.

O cinismo do tucano foi de tal ordem que o evento político e de campanha eleitoral antecipada promovido por João Doria com os ex-presidentes foi realizado no mesmo dia em que iniciou-se uma nova fase de restrições às atividades comerciais no Estado. Restrições estas que estão destruindo a economia paulista.

Leia também:
Mais Fechamentos Em São Paulo: João Doria Tem Que Ser Parado & Governo Federal Tem Que Centralizar Combate À Pandemia