por camila abdo e paulo eneas
A província de Formasa, uma das mais pobres da Argentina, está há quase um ano completamente isolada do resto do país. Apenas moradores podem entrar ali e, mesmo assim, somente depois do cumprimento de longas e draconianas medidas sanitárias impostas pelo governo local para supostamente combater o vírus chinês.

As imagens de ginásios lotados, sem isolamento para as pessoas infectadas, e acampamentos abarrotados nas fronteiras com aglomerações de pessoas pedindo ajuda aos gritos de dentro de quartos de hotel têm chocado os argentinos. Atualmente existem na província dezoito mil e oitocentas pessoas mantidos em ginásios, escolas e hotéis em isolamento forçada por conta da pandemia.

Estes verdadeiros campos de concentração são trancados e vigiados pela polícia, e abrigam pessoas que sofrem com a falta de água, comida e acesso a higiene, além da falta de acompanhamento médico. Trata-se do horror da ditadura sanitária imposta pelo Foro de São Paulo. Informações da Folha de São Paulo.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE