por camila abdo e paulo eneas
A Associação Médica do Rio Grande do Norte (AMRN) adotou a posição de defesa do tratamento precoce contra o vírus chinês com a prescrição de protocolo de medicamentos como hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina na fase inicial da doença. A posição da entidade foi comunicada oficialmente na semana passada em entrevista coletiva.

A entidade médica potiguar afirma que estes medicamentos são eficazes, e ajudam aos pacientes a não evoluírem para estágios mais graves da moléstia e coíbem a sobrecarga do sistema de saúde com internações, além de reduzir o número de óbitos. Na coletiva, todos os médicos reforçaram a necessidade da adoção do tratamento precoce, defenderam a autonomia do médico em observar as especificidades de cada caso e criticaram a politização da pandemia.

Participaram da coletiva os seguintes médicos: Dr. Marcelo Cascudo (cardiologista); Dr. Geraldo Ferreira (anestesiologista); Dr. Fernando Suassuna (Infectologista); Dr. Álvaro Barros (Cardiologista); Dr. Marcos Leão (Hematologista); Dra. Roberta Lacerda (Infectologista); Dr. Luiz Alberto Marinho (Infectologista) e Dr. João Maria de Lucena Marinho (Cardiologista). Informações da Tribuna do Norte


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE