por camila abdo e paulo eneas
O Executiva Nacional do PSL decidiu expulsar o deputado federal Daniel Silveira, preso ilegalmente na noite desta terça-feira (16/02) pela Polícia Federal por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. Em nota divulgada à imprensa, a executiva da sigla condena o deputado, que encontra-se preso, sem conceder-lhe o direito à defesa.

A nota endossa a narrativa autoritária sobre limites à liberdade de expressão. Ocorre que estes limites já existem e estão previstos em lei, uma vez que qualquer pessoa que se sente ofendida pela fala de outrem pode entrar na justiça para pleitear reparação por calúnia, ofensa à honra, difamação e injúria. A nota do PSL encerra com elogios ao Supremo Tribunal Federal.

O presidente doa sigla, Luciano Bivar,  jamais pronunciou-se sobre os inquéritos ilegais em andamento na suprema corte, sobre as ações de buscas e apreensões realizadas no ano passado contra apoiadores do governo, nem sobre as prisões arbitrárias que têm ocorrido desde então. Mas apressou-se em assegurar a expulsão do deputado bolsonarista.

Tão logo a decisão de expulsão foi anunciada, o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, foi em suas redes sociais e publicou mensagem afirmando que seu partido está de portas abertas para o deputado federal Daniel Silveira.

Leia também:
Afronta Sem Precedentes Ao Poder Legislativo: Deputado Daniel Silveira Preso a Mando de Alexandre de Moraes