por paulo eneas
Informações de Brasília dão conta de que algumas lideranças partidárias teriam negociado com a própria instância da justiça para garantir os votos necessários para a manutenção da prisão ilegal do deputado federal bolsonarista Daniel Silveira.

A manutenção da prisão ilegal do parlamentar e a possível cassação posterior de seu mandato teriam sido acordadas como forma de demonstrar a não disposição do subserviente parlamento brasileiro de conflitar com o poder judiciário.

O posicionamento das lideranças não precisará ser necessariamente seguido por cada parlamentar individualmente na votação desta sexta-feira (19/02), a menos que o partido a que parlamentar pertence resolva fechar questão. A votação será nominal e aberta.

Caso se confirme este acordo para sacrificar um dos mais leais e fiéis apoiadores do Presidente Bolsonaro, a Câmara dos Deputados terá assinado seu atestado de completa submissão, e terá assumido seu papel de poder subalterno e subserviente dentre os poderes da República.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE