por camila abdo e paulo eneas
Em discurso virtual realizado na abertura da 46ª sessão do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas nesta segunda-feira (22/02), o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, criticou duramente a censura imposta pelas big techs nas redes sociais e afirmou que as medidas  de restrições, sem comprovação científica, que têm sido tomadas para conter o vírus chinês constituem-se em potencial ameaça às liberdades.

O chanceler afirmou que as “liberdades fundamentais são ameaçadas por desafios crescentes”, e que a crise sanitária contribui para essa tendência. Ernesto Araújo lembrou que sociedades inteiras estão se habituando à ideia de que é preciso sacrificar a liberdade em nome da saúde.

No discurso, o chanceler também rechaçou a censura que vem ocorrendo de forma crescente nas redes sociais, que estão cada vez mais submetidas a mecanismos de controle e censura que, segundo Ernesto Araújo, atentam contra os princípios da liberdade de expressão.