por camila abdo e paulo eneas
Uma nova demonstração do poder do lobby chinês no parlamento brasileiro foi dada por meio de uma proposta disparatada apresentada pela deputada federal Clarissa Garotinho (Pros-RJ). A parlamentar carioca é autora de um bizarro projeto de lei que pretende incluir o Ano Novo Chinês no calendário nacional brasileiro de datas comemorativas.

A celebração da festividade chinesa é feita entre os dias 21 de janeiro e 20 de fevereiro. Na sua justificativa, a deputada afirma que o objetivo da proposta seria integrar as duas nações e divulgar a cultura chinesa no Brasil. O projeto em si é um disparate, que esconde o esforço e o empenho de uma parte do parlamento brasileiro em atender aos interesses do Partido Comunista Chinês.

Trocas culturais entre nações distintas, independentemente de seus respectivos regimes, ocorrem de modo espontâneo, quando ocorrem, sem a necessidade de medidas artificiais de seus respectivos governantes. Espera-se que o Câmara dos Deputados tenha ao menos a dignidade de sequer considerar esta proposta.