por angelica paulo eneas
Comerciantes e empresários realizaram na manhã desta segunda-feira (01/03) um novo protesto em Brasília (DF) contra o lockdown determinado pelo governador Ibaneis Rocha. O protesto foi marcado para a frente do Palácio do Buriti. Trata-se da segunda manifestação seguida contra o fechamento da economia imposto pelo governador. No domingo foi realizado outro protesto, em frente à residência oficial de Ibaneis Rocha.

Os manifestantes carregavam faixas e cartazes contra as medidas draconianas impostas pelo governo de Brasília, medidas estas que praticamente cessaram as atividades econômicas produtivas na capital federal. Segundo os manifestantes, o comércio não vai sobreviver a mais um lockdown. Representantes dos setores de transporte escolares, restaurantes, varejo, atacado e escolas entraram para conversar com o governador.

Governadores de vários estados continuam insistindo nos lockdowns e fechamentos para supostamente combater a pandemia do vírus chinês, sem que haja qualquer evidência científica da eficácia destas medidas. Estes mesmos lockdowns e fechamentos foram implementados no ano passado e tiveram resultado nulo no que diz respeito à pandemia. A única consequência foi e tem sido o estrangulamento da economia.

O trânsito em frente ao Buriti foi interrompido devido à manifestação. A Polícia Militar do Distrito Federal acompanhou o protesto e fez um cordão de isolamento em frente à sede do governo. No domingo (28/02), representantes do comércio e do setor produtivo da capital federal reuniram-se em frente à casa do governador Ibaneis Rocha pedindo a revogação da medida.

O governador de Brasilia emitiu um decreto na última sexta-feira (26/02) suspendendo o funcionamento de estabelecimentos comerciais e atividades consideradas não essenciais a por quinze dias a partir deste domingo. O decreto impõe medidas restritivas, incluindo o fechamento de atividades consideradas não-essenciais sob pretexto do avanço de casos da pandemia do vírus chinês. Informações de Correio Braziliense e Agora Notícias.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE