por angelica ca
Diretores de nove entidades que representam o setor de saúde privada em São Paulo reuniram-se em um evento online nesta segunda-feira (01/03) para lançar uma campanha contra o aumento de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) no Estado para produtos e equipamentos usados em hospitais e clínicas médicas.

O governo tucano paulista aprovou, em dezembro passado, o fim da isenção do Imposto de Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) para produtos e serviços médicos e hospitalares no estado.

A reforma tributária paulista, que entrou em vigor no início deste ano, tributou em 18% as alíquotas do setor de saúde no Estado, o que poderá gerar custos para o setor em torno R$ 1.3 bilhão, de acordo com dados da Associação Nacional de Hospitais Privados. Em outubro do ano passado, o proto-ditador paulista publicou decretos que autorizaram o aumento.

Ações já foram impetradas no Judiciário questionando a constitucionalidade da norma, e os representantes do setor vêm agindo no convencimento dos deputados estaduais para a aprovação de uma nova lei que conceda novamente as isenções para o segmento. Informações de Estado de Minas e Gazeta Brasil.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE