por camila abdo e paulo eneas
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou nesta quarta-feira (10/03) uma resolução que autoriza Estados, o Distrito Federal, municípios e o setor privado a importar medicamentos e vacinas contra o vírus chinês, mesmo aqueles que não tenham aprovação para uso no Brasil, bastando terem sido registrados e autorizados por determinadas agências sanitárias estrangeiras.

Desta forma, fica liberada a importação autorizados nos Estados Unidos, União Europeia, Japão, China, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, Rússia, Índia, Coreia, Canadá, Austrália, Argentina. A medida estende-se também contempla autorizações dadas por outras autoridades sanitárias estrangeiras.

Na prática, a Anvisa cedeu à pressão que estava sendo feita para permitir que demais entes da federação possam importar vacinas à revelia da aprovação da autoridade sanitária nacional brasileira. Trata-se de mais uma medida que subtrai prerrogativas do governo central em relação à pandemia, e transfere toda a competência em torno da questão para Estados e municípios.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE