por paulo eneas
O Policial Militar Wesley Soares Góes, que morreu neste domingo (28/03) após ter sido baleado por seus colegas de farda, não surtou nem teve ataque psicótico. Wesley Góes reagiu em um momento de lucidez, consciência moral e clareza ante à espiral de autoritarismo que está enredando grande parte das corporações policiais do País, desviando-a de sua finalidade e vocação, que é combater criminosos e proteger o cidadão.

Quando um policial tem diante de si a “missão” de reprimir pessoas de bem que estão trabalhando para assegurar seu sustento, ao mesmo tempo em que é impedido por ordem judicial de combater criminosos, nenhuma reação pode ser chamada de surto ou ataque psicótico.

Qualquer reação como a do policial Wesley Góes representa um lampejo de consciência e de moralidade ante a desumanidade do monstro do autoritarismo. Wesley Góes é um herói brasileiro.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE