por angelica ca e paulo eneas
Em um dos momentos mais dramáticos vivido pelo País por conta da pandemia, das ações ilegais de governantes locais contra a população, e de ataques intensos ao Presidente da República, o inepto e despreparado ministro das Comunicações, Fabio Faria, resolve criar factoides que expõem e constrangem o próprio presidente.

Além de agendar um encontro, totalmente inoportuno para o momento, do presidente com o cantor Latino, Fabio Faria resolveu invadir a área de competência do ministro do Turismo e convidar o piloto Lewis Hamilton para um fim de semana em Natal (RN).

Conhecido por ser apoiador de movimentos esquerdistas no mundo inteiro, Lewis Hamilton costuma ao final das competições erguer o braço esquerdo em punho cerrado, no gesto tradicional do movimento comunista.

O piloto também é defensor, e possivelmente financiador, do movimento esquerdista e racista Black Lives Matter, que foi responsável por distúrbios e mortes nos Estados Unidos no ano passado.

Louis Hamilton também é apoiador de outras organizações esquerdistas que reproduzem no exterior as narrativas mentirosas criadas pela esquerda nacional contra o Brasil e contra o Presidente Bolsonaro.

Esse dois factoides por si só mostram o quanto Fabio Faria é hoje a figura mais perniciosa e desagregadora do governo federal. Responsável pela pasta de Comunicações, Fabio Faria não comunica com transparência as questões envolvendo o interesse da Huawei, braço tecnológico e de espionagem do Partido Comunista Chinês, na instalação da Rede 5G no Brasil.

O último feito mais “relevante” de Fabio Faria foi promover uma intriga palaciana que resultou na queda de Fabio Wajngarten, antigo titular da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República e que, ao contrário do petista recém-pseudo-convertido ao bolsonarismo Fabio Faria, está entre os apoiadores históricos do Presidente Bolsonaro.

Fabio Faria é o principal responsável pela desastrosa estratégia (ou falta de uma) de comunicação e de relações com a imprensa do Governo Federal, cujo efeito tem sido a exposição de modo negativo a figura do Presidente Bolsonaro, além de inviabilizar a interlocução necessária entre o presidente e seus apoiadores.

O presidente necessita com urgência dar prosseguimento à reforma ministerial realizada nesta segunda-feira (30/03), promovendo o afastamento de Fabio Faria e a realocação da área de comunicações para o Ministério da Infraestrutura, chefiado pelo competente e preparado ministro Tarcísio Gomes de Freitas.

É necessário também que o presidente tenha ao seu lado, e subordinado diretamente a ele, um profissional de comunicações e relações públicas e com a imprensa que desempenhe o papel de porta-voz, e que esteja alinhado e preocupado com as diretrizes centrais do Governo, e não em promover factoides constrangedores em benefício próprio, como tem feito Fabio Faria. Colaboração Angelica Ca.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE