por paulo eneas
As explicações dadas até agora pelo antagonista Diogo Mainardi sobre o contrato de R$ 8 milhões entre a empresa que produz o programa-traço Manhattan Connection e a Fundação Padre Anchieta não foram convincentes e não esclarecem os fatos. Segundo Diogo Mainardi, os recursos supostamente privados que bancam o programa seriam repassados à TV Cultura, que por sua vez os repassaria à empresa que o produz.

É evidente que esta triangulação é totalmente incomum entre entes públicos e privados. Ela é tão estapafúrdia que poderia servir para descrever a forma como a Fundação Padre Anchieta é remunerada por ceder ou alugar o horário em sua grade de programação para o Manhattan Connection. Cabem então outras perguntas ao antagonista Diogo Mainardi:

A TV Cultura alugou horário para o Manhattan Connection? Se não, ela contratou o programa? Se não, quais os custos incorridos para a TV Cultura para ceder horário de sua grade para o programa? O que significam os R$ 8 milhões determinados no estrato do contrato? Se é estimativa, é estimativa do quê e a cargo de qual parte? Diogo Mainardi ainda tem muito o que explicar, e de nada adianta tergiversar falando sobre “bolsonaristas”.

Leia aqui nossa reportagem completa:
Os Blogueiros de Crachá de João Doria: R$ 8 Milhões Em Recursos Públicos Para Atacar o Presidente Bolsonaro


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE