por paulo eneas
O jantar organizado pelo ministro Fabio Faria para esta quarta-feira (07/04) em São Paulo, reunindo um grupo de vinte empresários e o Presidente da República, será uma armadilha para o Presidente Bolsonaro. A lista parcial com os convidados foi divulgada pelo jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo, que segundo nossas fontes recebeu a informação da lista de convidados diretamente do próprio Fabio Faria.

Entre os convidados, estão empresários ligados diretamente ao tucano João Doria. Entre eles Claudio Lottenberg, membro da diretoria do Hospital Albert Einstein e que participou da indicação de Nelson Teich para o Ministério da Saúde, e um dos médicos que combatem o tratamento precoce para covid.

O evento está programado para ser realizado na residência do empresário Washington Cinel, que atua no setor de segurança privada. Parceiro de João Doria há muitos anos nos negócios do LIDE, entidade comandada por João Doria para operar interesses privados junto ao setor público, Washington Cinel coordena o Lide Segurança, um dos braços do grupo, e foi um dos principais articuladores financeiros da campanha de João Doria ao governo paulista.

Recentemente Washington Cinel recebeu em sua residência o presidente do  Senado Federal, Rodrigo Pacheco, e o presidente da Câmara dos Deputado, Arthur Lira.

A iniciativa do Ministro Fabio Faria, que tem atuado como porta-voz não oficial do Presidente da República para todos os assuntos, além de interferir em todas as áreas do governo agindo com a desenvoltura de um co-presidente, é vista por algumas fontes com quem conversamos como uma verdadeira armadilha para o Presidente Bolsonaro.

A avaliação presente é que a atuação do Ministro Fabio Faria tem minado internamente o Governo Bolsonaro. Responsável direto pela desastrosa estratégia de comunicação do governo, pouco transparente nas questões envolvendo a implantação da Rede 5G no Brasil e os interesses da chinesa Huawei a ela associados, Fabio Faria é hoje a figura que não apenas faz sombra ao presidente, como é o responsável direto pelos principais erros de estratégia política do governo.

O Presidente Bolsonaro faria um grande bem a si mesmo e ao País se cancelasse sua participação neste evento e determinasse auxiliar que fizesse a necessária interlocução transparente entre o Chefe de Estado e empresários, na perspectiva de atender interesses do país e não de setores.

O presidente poderia também a aproveitar a oportunidade para exonerar Fabio Faria, que tornou-se hoje a figura mais danosa de seu governo. (Na foto ilustrativa da matéria: João Doria, Sergio Moro e Washington Cinel em encontro do LIDE).

Leia também:
As Prioridades do Ministro Fabio Faria: Lewis Hamilton e Cantor Latino


 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE