por angelica ca e paulo eneas
Um estudo de revisão realizada pela Universidade de Liverpool, no Reino Unido, e divulgado na segunda quinzena de janeiro, analisou 18 artigos científicos publicados a respeito do uso de ivermectina para o tratamento da covid. O estudo concluiu que o medicamento apresenta até 75% de eficácia nos níveis de inflamação, redução do tempo de internação e prevenção de mortes em decorrência do vírus chinês.

Esse estudo de revisão, denominado meta-análise na linguagem técnica, exibiu resultados preliminares, mas que foram considerados promissores, e atestam a eficácia da ivermectina no tratamento da covid nos estágios iniciais da doença, o que corresponde ao chamado tratamento precoce.

O estudo também revelou que o medicamento pode reduzir as chances de infecção e transmissão do vírus. As taxas de recuperação clínica previstas são de 43%, enquanto as taxas de sobrevivência são 83% maiores em comparação aquelas do pacientes de covid que não usaram ivermectina.

De acordo com o autor Andrew Hill, um dos pesquisadores, o estudo de revisão ainda é preliminar, e nenhum dos estudos analisados é individualmente robusto o suficiente para que se estabeleça um nível de eficácia do medicamento. No entanto, quando combinados por meio da meta-análise, os resultados podem indicar que o medicamento de fato é eficaz contra a covid. Informações de Gospel Prime e Olhar Digital.

Leia também:
Verdadeiro Fabricante da Ivermectina Desmente Nota da Farmacêutica Merck


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE