por angelica ca e paulo eneas
Quatro cidades do interior do Estado de São Paulo estão obrigando moradores com diagnóstico positivo para a covid a usarem pulseiras vermelhas para serem identificados como infectados pelo vírus chinês. A medida constitui-se em um verdadeiro crime de apartheid sanitário, e mostra o grau de ilegalidade que tomou conta do país.

O apartheid sanitário foi adotado nos municípios de Nova Granada, Tabapuã, Paulo de Faria e Irapuru, cidades pequenas do interior do Estado de São Paulo. Em decreto publicado no início de março, a prefeitura de Nova Granada, com população de aproximadamente 21 mil pessoas, obrigou o uso da pulseira.

Cerca de setecentas pessoas já receberam as pulseiras, que somente podem ser retiradass com autorização médica. Dois moradores de Nova Granada foram multados em R$ 300,00 cada por descumprir a norma, após serem denunciados por outros moradores. Informações de Terra, Agência Brasil e G1.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE