por angelica ca e paulo eneas
Usando como pretexto a crise da pandemia do vírus chinês, o impostor ocupante da Casa Branca, Joe Biden, determinou que a partir de agora pílulas abortivas poderão ser enviadas pelo correio para uso sem supervisão médica. A decisão foi tomada nesta segunda-feira (12/04), e reverte restrição que havia sido determinada pelo então presidente Donald Trump sobre o acesso aos serviços de aborto.

De acordo com nova diretriz da FDA (Food and Drug Administration), as mulheres poderão receber o Mifepristone, uma pílula abortiva, por meio de uma consulta de telemedicina e, em seguida, receber suas doses pelo correio. A justificativa para a medida é reduzir o risco de infecção por covid.

O medicamento abortivo encontra-se em uma lista reservada do FDA desde o ano 2000. A lista contém procedimentos e compostos farmacêuticos de alto risco e, por estar nesta lista, o Mifepristone só poderia ser prescrito pessoalmente em um centro médico certificado.

O FDA enviou um comunicado dois dias depois da decisão ao Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas, informando a permissão para a prescrição remota de pílulas abortivas, que agora poderão ser enviadas às mulheres pelo correio. Informações de PanamPost, Forbes e ACI Digital.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE