por angelica ca e paulo eneas
A ditadura comunista chinesa reprime duramente qualquer expressão de pensamento dissidente na internet. Para acentuar essa repressão, o regime lançou um aplicativo que incentiva os cidadãos a denunciar outros usuários da internet por expressarem “opiniões equivocadas”, ou seja, qualquer opinião que não esteja em linha com a ortodoxia do Partido Comunista Chinês.

A ferramenta lançada na semana passada terá como alvo qualquer pessoa que critique o Partido Comunista Chinês, que promova o que regime entende como distorção da história do partido, que critique sua liderança e as políticas partidárias, ou que venha a “negar a excelência da cultura socialista avançada”.

O aplicativo de denúncia e sua plataforma foram apresentados ao público esta semana pelo regime, que conclamou os usuários a denunciar compatriotas que desagradem a ditadura comunista chinesa. A internet na China já é fortemente censurada, e a maioria das redes sociais estrangeiras, mecanismos de busca e veículos de notícias estão proibidos no país.

O regime comunista chinês também opera um sistema de crédito social, que pode impedir as pessoas de usarem certos serviços públicos caso tenham um comportamento em desacordo com as linhas ideológicas do partido.

A China é o exemplo vivo da tecnologia colocada a serviço de uma ditadura fascista-comunista por meio do controle social.  Informações de Summit News  e Daily Mail.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE