por paulo eneas
A pandemia liberou todos os demônios do autoritarismo no seio da sociedade brasileira. Prefeitos e governadores, com poucas exceções, deram vazão às suas verves ditatoriais e transformaram parte das forças de segurança pública em verdadeiros agentes repressores, que perseguem e reprimem pessoas de bem que estão cometendo o “crime” de trabalhar.

Nem mesmo sob a ditadura de Getúlio Vargas durante o Estado Novo, a ditadura mais violenta que o Brasil já teve, assistiu-se a este grau de autoritarismo que temos presenciado no país desde o início da pandemia.

Na última sexta-feira (21/04) assistimos a mais um episódio da sanha autoritária que grassa pelo país: o professor de educação física Felipe Francisco foi agredido e preso por guardas municipais na cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

A ação foi filmada, e o vídeo foi divulgado nas redes sociais pela jornalista Fernanda Salles. O “crime” que o professor estava cometendo era o de trabalhar, dando aulas de futebol de quadra ao ar livre, o que foi entendido pelos agentes de repressão ao trabalho como sendo “aglomeração”.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE