por angelica ca e paulo eneas
O principal agente de serviços de espionagem cibernética da Grã-Bretanha e diretor da agência de espionagem GCHQ, Jeremy Fleming, fez um alerta sobre o risco do domínio das tecnologias emergentes pela China no curto prazo.

Em discurso no Imperial College London na semana passada, Jeremy Fleming afirmou que o Ocidente deve agir urgentemente para garantir que a China não domine tecnologias emergentes importantes e ganhe o controle do que ele chama de “sistema operacional global”.

“A liderança significativa em tecnologia está se movendo para o Leste. A preocupação é que o tamanho e o peso tecnológico da China significam que ela tem potencial para controlar o sistema operacional global.”

Jeremy Fleming disse que a China está empregando todos os elementos do poder estatal para controlar, influenciar o design e dominar os mercados no mundo todo, enquanto tenta dominar os debates sobre os padrões globais. Ele ainda afirmou que o Ocidente enfrenta uma batalha pelo controle de tecnologias como inteligência artificial, biologia sintética e genética.

Ainda segundo o analista de inteligência britânico, a Rússia continua sendo a maior ameaça imediata ao Ocidente, mas o domínio de longo prazo da tecnologia da China comunista representa um problema muito maior: “A Rússia está afetando o clima, enquanto a China está moldando o clima”, disse Jeremy Fleming.

As afirmações do analista britânico a rigor não são uma novidade. Desde meados da década de setenta do século passado, quando os globalistas decidiram transformar o regime de ditadura comunista chinesa no parque industrial do Ocidente, por conta da mão de obra barata e abundante, esse cenário tornou-se previsível.

A injeção de bilhões de dólares em investimentos que os globalistas realizaram na China, a vista grossa deliberada para suas práticas comerciais desleais como dumping, espionagem e roubo de segredos tecnológicos industriais e científicos, além da diplomacia comercial de agressão por parte do regime comunista chinês apontavam claramente para este desfecho.

Se não houver reação no Ocidente no curto prazo de alguns anos, a ditadura comunista chinesa irá tornar-se de fato a principal potência econômica, científica e tecnológica em todo o mundo e estará na posição de tentar impor seu sistema de poder político-econômico, baseado nas doutrinas antidemocráticas e fundamentalmente anticristãs do Partido Comunista Chinês para o resto do mundo. Informações de Agência Reuters e National Post.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE