por camila abdo e paulo eneas
A Central Única dos Trabalhadores (CUT), aparelho sindical controlado pelo PT, anunciou que vai fazer manifestações contra a aprovação do projeto de lei da senadora Paula Belmonte (Cidadania-DF), que determina a proibição da suspensão das aulas presenciais durante a pandemia do vírus chinês.

O Projeto de Lei 5595/2020 foi aprovado esta semana na Câmara dos Deputados, e o texto aguarda parecer do Senado, que deverá votar favoravelmente à matéria. Os sindicalistas pelegos da CUT alegam que a lei coloca em risco a vida de professores, alunos e trabalhadores da educação. Esta alegação é falsa e não há evidência científica alguma que a corrobore.

A posição da central sindical pelega, atuando como “correia de transmissão do partido” como manda a doutrina leninista, reflete apenas a posição de toda a esquerda nacional que quer ver a paralisação de todos os setores da economia para gerar caos social e responsabilizar politicamente o Presidente Bolsonaro pela situação.

A posição da central sindical reflete também o corporativismo comodista de parcela expressiva dos professores brasileiros, principalmente os da rede pública de ensino, que querem continuar sem trabalhar e recebendo seus salários. O Brasil está entre países que fecharam escolas por mais tempo na pandemia. Informações Revista Oeste.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE