por paulo eneas
O depoimento do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta na CPI da Covid iniciado na manhã desta terça-feira (04/05) no Senado Federal tem sido até agora um palanque para o ex-ministro. Praticamente todas as perguntas feitas até o momento pelos senadores têm servido para Henrique Mandetta apresentar um balanço positivo, sob seu ponto de vista, de sua gestão à frente do ministério.

Nenhum questionamento substantivo foi feito até agora sobre as diretrizes iniciais erradas que foram dadas pelo ministério quando do início da pandemia, especialmente a recomendação de ficar em casa no início dos sintomas, uma vez que o coronavírus era interpretado como uma virose.

Não questionou-se até o momento a ênfase dada em respiradores, usados em estágio já avançado da doença, e a ausência de diretrizes para tratamento imediato, que já estava em desenvolvimento no início da pandemia. O ex-ministro não foi questionado ainda sobre o modelo de achatamento de curva, que mostrou-se infundado e sem qualquer base na ciência epidemiológica. O depoimento prossegue.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE