por camila abdo e paulo eneas
A escassez de matérias-primas tem sido a principal responsável por impedir a expansão das empresas no Brasil no período recente: uma em cada quatro empresas em crescimento enfrenta esta dificuldade. Esta situação decorre da insanidade dos lockdowns e bloqueios impostos por governadores a pretexto de combater a pandemia do vírus chinês, mas cujo único efeito tem sido a depreciação da economia nacional.

A situação está piorando conforme os governadores aumentam as restrições. O mês de abril desta ano foi pior para o setor industrial dos últimos vinte anos de acordo com a sondagem do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas: em janeiro 20% das indústrias se ressentiam da escassez de matérias primas. Em abril, este índice passou a 25.3%.

O problema mais citado foi a dificuldade de demanda. Segundo Cláudia Perdigão, economista do Instituto Brasileiro de Economia da FGV, o movimento está associado à desarticulação das cadeias produtivas na pandemia, o que levou a retomadas desiguais entre os segmentos a partir do segundo semestre de 2020: “Alguns setores tiveram dificuldade de reativar suas plantas e houve descasamento no fornecimento”. Informações de O Valor.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE