por paulo eneas
Os primeiros dias de funcionamento da CPI da Covid estão servindo para promover o espancamento e a demonização do tratamento precoce para covid, confirmando assim o que o Crítica Nacional havia antecipado: esta CPI veio com o objetivo de tentar incriminar o Presidente da República e de promover a completa demonização e criminalização do tratamento precoce.

Nenhum dos depoentes até agora, incluindo ex-ministros que são médicos, teve a hombridade de fazer a defesa do preceito básico da medicina: tratar antecipadamente qualquer doença com os recursos disponíveis. Pelo contrário, todos procuram eximir-se de responsabilidade, legitimando assim antecipadamente a criminalização que vem sendo feita.

Nem mesmo o atual Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, teve hombridade para tal: apesar de ser médico, recusou-se a se posicionar sobre o tratamento quando inquerido a respeito. Cabe perguntar: por que o Presidente Bolsonaro foi nomear um ministro incapaz de defender aquilo que o presidente defende?


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE