angelica ca
Autoridades sanitárias do Rio de Janeiro estão investigando a morte de uma grávida de 35 anos após ter recebido a vacina da Oxford/AstraZeneca.

Uma grávida desenvolveu um quadro grave de trombose em uma veia do cérebro. Ela e o bebê vieram a óbito na segunda-feira (10/05).

De acordo com apuração do Estadão, a mulher não apresentava histórico de doença circulatória nem sofria de nenhuma doença viral.

Ainda na segunda-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou a suspensão imediata do uso do imunizante contra a covid em gestantes.

Na terça-feira (11/05) o Ministério anunciou que a vacinação de gestantes no país será restrita apenas às mulheres com comorbidades e elas devem receber somente as vacinas CoronaVac e Pfizer. A determinação vale até que sejam concluídas as análises do caso raro que pode ter ligação com o uso da AstraZeneca.

Após a morte da mulher, 14 Estados decidiram interromper o uso do imunizante neste grupo prioritário. No entanto, nesta quarta-feira (12/05), a prefeitura do Rio de Janeiro decidiu retomar a vacinação contra covid de gestantes e mulheres que tiveram filhos até 45 dias atrás e que apresentem algum tipo de comorbidade.  Informações de Estadão, Agência Brasil e G1.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE