por angelica ca e paulo eneas
Os Estados Unidos retiraram esta semana cerca de 120 funcionários militares e civis de Israel, enquanto o país continua sendo atacado por terroristas por meio de foguetes lançados a partir da Faixa de Gaza. A informação foi confirmada por uma autoridade do Pentágono nesta quinta-feira (13/05), o comando militar central norte-americano.

A retirada dos norte-americanos, que foram transportados para a base aérea norte-americana de Ramstein, na Alemanha, ocorreu em vista do acirramento dos embates que ocorrem desde a semana passada entre os terroristas do Hamas e Jihad Islâmica e as forças de defesa israelenses.

Além dos ataques terroristas externos a partir da Faixa de Gaza, cidades israelenses estão em convulsão por conta da ação criminosa de árabes residentes que, nunca tendo sido leais ao Estado de Israel, estão promovendo depredações, saques e incêndios em estabelecimentos e residências de judeus, inclusive em Sinagogas, conforme mostramos no artigo Árabes Promovem Distúrbios e Incendeiam Sinagogas na Cidade Israelense de Lod.

Um porta-voz militar israelense informou que as Forças de Defesa de Israel estão fortalecendo suas posições e aumentando seus efetivos na fronteira com a Faixa de Gaza e preparando-se para operações terrestres. A iminência de uma ação militar terrestre israelense na Faixa de Gaza foi antecipada pelo Crítica Nacional no artigo Forças de Defesa de Israel Elaboraram Plano de Incursão Militar Terrestre na Faixa de Gaza, publicado hoje mais cedo.

Ainda nesta quinta-feira mais cedo, o ministro da Defesa de Israel, Benny Gantz, autorizou  a convocação de 9.000 reservistas do exército israelense. Desde a segunda-feira (10/05) cerca de 1.800 foguetes foram disparados contra Israel pelo Hamas e Jihad Islâmica a partir da Faixa de Gaza. Deste total, 160 foguetes foram disparados somente nesta quinta-feira (13/05).

Diante do poder de fogo dos terroristas e do potencial de baixas entre civis israelenses, uma vez que os terroristas lançam estes projéteis contra alvos residenciais em Israel, a opção de incursão militar terrestre israelense na Faixa de Gaza, para dizimar a infraestrutura bélica criada pelos terroristas, passa a ser uma opção a ser considerada. Informações de Israel Notícias | The Independent.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE