por angelica ca e paulo eneas
Um dirigente do Hamas afirmou nesta quarta-feira (12/05) que aquela organização terrorista islâmica estaria disposta a encerrar o intenso conflito em andamento com Israel, e para isto propôs que a Rússia negocie um cessar-fogo entre as partes. A informação foi dada pelo Ministro das Relações Exteriores da Rússia.

Segundo informações, Moussa Abu Marzouk, dirigente do Hamas, fez a oferta durante uma conversa por telefone com o vice-chanceler da Rússia, Mikhail Bogdanov, que também supervisiona os assuntos do Oriente Médio. No entanto, Moussa Abu Marzouk condicionou o possível cessar fogo à interrupção unilateral das ações defensivas de Israel.

É evidente que a iniciativa do Hamas é apenas uma cortina de fumaça para dar à Rússia o pretexto para voltar a exercer o protagonista que exercia no Oriente Médio durante o governo de Barack Obama nos Estados Unidos. A iniciativa do Hamas também veio no mesmo momento em que a Casa Branca chefiado pelo impostor Joe Biden adota um posicionamento dúbio, para dizer o mínimo, em relação o conflito em andamento.

A volta de um protagonismo da Rússia no Oriente Médio significarias uma fragilização da segurança do Estado de Israel, considerando-se que a Rússia tem como seu principal aliado na região justamente o Irã, o principal financiador de grupos terroristas islâmicos no Oriente Médio, incluindo o Hezbollah, que atua no sul do Líbano, e a Jihad Islâmica, que atua na Faixa de Gaza ao lado do Hamas.

O Governo de Israel antecipou-se, e já afirmou que não planeja um cessar-fogo. Mais do que isso, o próprio premier Benjamin Netanyahu afirmou esta semana que as Forças de Defesa de Israel continuarão mirando alvos do Hamas, Jihad Islâmica e outros grupos terroristas islâmicos que atuam na Faixa de Gaza para fins de dissuasão e para impedir ataques futuros destes grupos terroristas ao território israelense. Informações de Times Of Israel | Israel Notícias.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE