por camila abdo e paulo eneas
Pela terceira vez em menos de dois meses, o proto-ditador tucano paulista João Doria prorrogou as restrições a atividades econômicas no Estado de São Paulo a pretexto de enfrentar a pandemia do vírus chinês. Em decisão anunciada nesta quarta-feira (26/05), o governo paulista estendeu a chamada fase de transição até o dia 14 de junho.

Com a prorrogação, as atividades comerciais prosseguem com permissão para funcionar com capacidade reduzida e somente até ás 21h. Em consequência, os estabelecimentos comerciais continuam sob forte pressão econômica, com risco elevado de mais falências e desemprego. O tucano havia prometido uma maior flexibilização das restrições a partir do início de junho, mas não cumpriu o que disse.

Somente no ano passado, um quarto dos bares e restaurantes da capital paulista foram à falência, conforme mostramos no artigo Efeito Devastador de João Doria: 50 Mil Bares & Restaurantes Faliram Em São Paulo. As medidas de restrições de direitos civis adotadas pelo tucano João Doria e demais governadores e prefeitos carecem de qualquer fundamentação científica quanto a eficácia destas medidas para a contenção da pandemia.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE