por angelica ca e paulo eneas
O Dr. Pierre Kory, um proeminente médico e cientista norte-americano integrante da Front Line Covid-19 Critical Care Alliance denunciou que a supressão do uso de ivermectina pela Organização Mundial da Saúde para o tratamento de covid causou a perda de cerca de cerca de meio milhão de vidas. A informação foi divulgada pelo World Tribune em artigo do final de março.

“É criminoso”, afirmou o Dr. Kory, ao comentar sobre a supressão da ivermectina pela OMS. “É literalmente criminoso. A droga poderia ter salvado meio milhão de vidas este ano se tivesse sido aprovada”.

O Dr. Pierre Kory afirmou que a Organização Mundial de Saúde está fazendo parte de uma estratégia de desinformação que já se encontra bastante desgastada pelo tempo. O conceito foi criado pela Union of Concerned Scientists há meio século, para descrever as estratégias que as corporações desenvolveram ao longo de décadas para atacar a ciência quando ela vai contra seus interesses financeiros.

O médico ainda afirma que a OMS passou a ser o instrumento utilizado pelas gigantes farmacêuticas para defender seus interesses, em troca do financiamento que fornecem. Segundo ele, as grandes empresas farmacêuticas se infiltraram na entidade mundial de saúde e direcionam suas políticas. Bill Gates é o segundo maior contribuinte financeiro da Organização Mundial de Saúde.

“Não consigo imaginar na história da indústria farmacêutica um interesse competitivo tão profundo e vasto quanto aquele que foi demonstrado contra a pequena ivermectina”, afirmou o Dr. Kory, acrescentando: “O interesse contra ela é realmente quase incalculável.”

Para o Dr. Kory, a equipe de cientistas a serviço da Organização Mundial de Saúde que luta contra o uso da ivermectina cometeu muitas irregularidades ao considerar os relatórios de pesquisa, omitindo e ocultando dados para distorcê-los de acordo com os interesses econômicos envolvidos.

Além disso o médico lembra que foi observada uma melhora de 78% dos pacientes que receberam o medicamento nos estágios iniciais da doença, e uma melhora de até 46% nos estágios posteriores. Simultaneamente, houve melhora de 74% na mortalidade, entre outros efeitos benignos.

Resultados impressionantes também foram observados em países que utilizaram a ivermectina em larga escala, como o México, conforme mostra o artigo URGENT COVID-19 information: Ivermectin reduces the risk of death from COVID-19, publicado em janeiro deste ano.

O mesmo resultado foi observado na Índia, conforme mostra o artigo Indian physicians say it shows some good results and has fewer side effects, publicado neste mês de maio. O Equador também obteve resultados positivos conforme mostra o artigo Ivermectina para prevención y tratamiento del Covid-19: Surgen más estudios que certifican los beneficios de usar este fármaco a tiempo, publicado em janeiro.

O Dr. Pierre Kory liderou uma revisão científica envolvendo 469 cientistas e 18.447 pacientes, segundo a qual há uma melhora em 85% dos casos usando ivermectina como preventivo de doenças quando tomada antes da exposição, conforme mostra artigo do World Tribune em 26 de março.

O médico também é o principal autor de uma revisão científica dos estudos com ivermectina em todo o mundo, publicada na edição de maio-junho do The American Journal of Therapeutics. Informações de BlesMundo.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE