por paulo eneas
Durante sua fala e perguntas dirigidas à Dra. Nise Yamaguchi na sessão da CPI da Covid do Senado Federal desta terça-feira (01/06), o senador Humberto Costa (PT-PE) sintetizou aquela que tem sido a tônica adotada pela comissão até aqui: demonizar e criminalizar o tratamento precoce, contra toda a evidência médico-científica disponível criada ao longo da pandemia.

Em um trecho de sua fala, o senador petista exibiu números sobre as vendas no país de cloroquina e de outros medicamentos do chamado kit covid desde março do ano passado, que totalizaram cerca de cinquenta milhões de unidades. O senador mencionou também dados que afirmam que 23% da população brasileira teria tomado estes medicamentos.

A partir daí o senador elabora um argumento falacioso, questionando o porquê do número elevado de óbitos por Covid-19 no país apesar de quase um quarto da população ter, supostamente, usado dos medicamentos como hidroxicloroquina e outros. E prossegue afirmando que esse fato serviria para mostrar que estes medicamentos são ineficazes, além de supostamente ter sido “provado” que estes medicamentos “não serve (sic) para o atendimento da covid”.

O senador conclui a pergunta afirmando que a Anvisa não teria aprovado o uso off label destes medicamentos, ignorando o fato de que a decisão de fazer uso off label de um dado fármaco cabe ao médico, esquecendo-se que o papel institucional da Anvisa é exatamente outro: aprovar o uso de medicamentos desenvolvidos especificamente para uma dada enfermidade.

A resposta da Dra. Nise Yamaguchi foi precisa e exata: em primeiro lugar, não se tem o registro do número de pessoas que se curaram fazendo uso destes medicamentos. Da mesma forma, não se tem registro sobre quantas pessoas, entre as que morreram, não fizeram o uso destes medicamentos. Portanto, a premissa da pergunta do senador petista está totalmente infundada ou é não verificável.

A médica lembra, no entanto, que a previsão inicial feita pela Universidade de Oxford era de milhões de mortos nos primeiros meses da pandemia, e cita o caso de sua clínica particular que tratou de maneira bem-sucedida mais de quatrocentos pacientes com Covid-19.

Embora a Dra. Nise Yamaguchi não tenha afirmado, o fato de a previsão inicial de milhões de mortos não ter se confirmado pode estar relacionado justamente à informação que o senador petista trouxe: cerca de um quarto da população brasileira tratou-se preventivamente com hidroxicloroquina e medicamentos associados.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE