por angelica ca e paulo eneas
Um cidadão chinês e um polonês foram indiciados nesta terça-feira (01/06) em um tribunal de Varsóvia, Polônia, acusados de terem usado os negócios da empresa de tecnologia chinesa Huawei como cobertura e disfarce para acessar informações confidenciais do governo polonês.  A informação foi divulgada esta semana pelo Breitbart.

O chinês Weijing Wang e o polonês Piotr Durbajlo foram presos em janeiro de 2019. Weijing Wang prossegue preso desde então. O polonês Piotr Durbajlo, especialista em segurança cibernética que trabalha para agências polonesas de segurança governamentais, foi libertado sob fiança. Ambos os réus se declararam inocentes.

Os promotores poloneses alegam que Wang Weijing, que trabalhava como diretor executivo da Huawei na Polônia, passou mais de sete anos espionando para a China, com o objetivo de capacitar a empresa chinesa a influenciar o governo polonês por meio da infraestrutura de tecnologia, segundo a acusação dos promotores.

O processo é parcialmente sigiloso, mas na sua seção pública acusa Weijing Wang de ser um agente de inteligência do regime comunista chinês. Entre os anos de 2011 e de 2019, Weijing Wang obteve contratos de alto escalão para a Huawei que dariam à empresa chinesa uma visão e influência sobre sistemas de dados de administração estatal da Polônia.

Se condenados, tanto o chinês Weijing Wang quanto o polonês Piotr Durbajlo terão que cumprir pena mínima de três anos de prisão. As investigações e o processo devem durar vários meses e ainda não há data definida para o julgamento. Informações NTD | La Nacion | BlesMundoBreitbart.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE