por angelica ca e paulo eneas
A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN) da Câmara dos Deputados, aprovou na semana passada o acordo de defesa firmado entre Brasil e o Estado de Israel em 31 de março de 2019. O texto do Acordo de Cooperação em Questões Relacionadas à Defesa foi foi alvo de um amplo debate que ocorrer no contexto dos recentes conflitos entre Israel e o Hamas, grupo terrorista islâmico que controla a Faixa de Gaza.

O relator da matéria, deputado Aroldo Martins (Republicanos-PR), assegurou que o acordo trará inúmeros benefícios às Forças Armadas brasileiras e à Base Industrial de Defesa. Segundo o deputado, o acordo “contribuirá para o estabelecimento de um novo patamar de relacionamento entre Brasil e Israel, por meio da cooperação nos campos relacionados à defesa, com ênfase no intercâmbio de tecnologias, treinamento, visitas de navios e aeronaves militares, visitas mútuas de alto nível de delegações, bem como na facilitação de iniciativas comerciais relacionadas a materiais e serviços”, explicou.

Aroldo Martins afirmou ainda que “este acordo não guarda relação com questões ideológicas, mas com o interesse do Brasil em aprofundar o processo de modernização de suas Forças Armadas por meio da alta tecnologia, algo que trará, também, ganhos enormes para o desenvolvimento tecnológico nacional”.

O Acordo de Cooperação em Questões Relacionadas à Defesa foi assinado em Jerusalém em 31 de março de 2019 durante visita oficial a Israel do presidente Jair Bolsonaro a convite do Primeiro-Ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. A aprovação do acordo representa uma vitória do Presidente Bolsonaro e da política externa que era conduzida pelo ex-chanceler Ernesto Araújo. Informações de Portal Câmara | Gospel Prime | Agência Brasil.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE