por angelica ca e paulo eneas
O ex-presidente norte-americano Donald Trump afirmou nesta terça-feira (08/06) que todos os países deveriam seguir o exemplo da Nigéria e proibir os gigantes da mídia social Facebook e Twitter por censurarem a liberdade de expressão: “Parabéns à Nigéria, que acabou de banir o Twitter porque ele censurou seu presidente”, disse Donald Trump em comunicado publicado na terça-feira em seu site.

“Mais países deveriam proibir o Twitter e o Facebook por não permitirem a liberdade de expressão (…). Nesse ínterim, os concorrentes surgirão e se firmarão. Quem são eles para ditar o bem e o mal, se eles próprios são maus? Talvez eu devesse ter feito isso enquanto era presidente. Mas [o fundador do Facebook, Mark] Zuckerberg continuou me ligando e vindo à Casa Branca para jantar me dizendo como eu era ótimo. 2024?”

O Ministério Federal da Informação e Cultura da Nigéria proibiu o funcionamento do Twitter por tempo indefinido depois que a plataforma de mídia social globalista decidiu, em um ato de censura, remover uma postagem do presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, alegando violações das políticas da empresa e dos termos de uso da plataforma.

O governo nigeriano também ordenou que todas as emissoras de televisão e rádio do país parassem de usar o twitter, que eles descreveram como antipatriótico. O Facebook também removeu as mesmas postagens do presidente nigeriano de sua plataforma, alegando violações de termos de uso.

Em um comunicado à imprensa divulgado na última sexta-feira (04/06), o ministro da Informação, Lai Mohammed, disse que optou por tomar medidas contra o Twitter devido ao “uso persistente da plataforma para atividades que são capazes de minar a existência corporativa da Nigéria”, como a promoção de separatistas violentos.

O tweet do presidente nigeriano Muhammadu Buhari pedia uma forte ação contra uma organização separatista militante que defende um estado independente na região de Biafra. “Muitos dos que se comportam de modo errado hoje são muito jovens para estar cientes da destruição e perda de vidas que ocorreram durante a guerra de Biafra”, escreveu Buhari no Twitter. “Aqueles de nós que estão no campo por trinta meses, que passaram pela guerra, vão tratá-los na língua que eles entendem.”

O tweet do presidente nigeriano seguiu-se a uma onda de ataques a delegacias de polícia pela Eastern Security Network, um grupo terrorista radical biafrense. O grupo foi responsável por inúmeros ataques terroristas que resultaram em dezenas de mortes de policiais e funcionários do governo. Informações de National Life | News Max.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE