por paulo eneas
O Dr. Osmar Terra, deputado federal e ex-ministro do Governo Bolsonaro, está prestando depoimento nesta terça-feira (22/06) como convidado na CPI da Covid do Senado Federal. O deputado abriu sua fala mencionado um ponto importante que poucos analistas têm observado a respeito da maneira como os trabalhos têm sido conduzidos na comissão.

O médico lembrou que normalmente as comissões parlamentares de inquérito destinam-se a investigar supostos crimes. O Dr. Osmar Terra observou que, no entanto, a CPI da Covid tem focado em “investigar opiniões” de médicos e cientistas e de gestores públicos a respeito de como fazer o enfrentamento à pandemia.

Sobre a chamada imunidade de rebanho, o médico esclareceu o grande mal entendido que criou-se, deliberadamente ou não, a respeito deste efeito. Parte da opinião pública está alimentando a noção de que a busca da imunidade de rebanho seria uma estratégia a ser adotada por gestores públicos para o enfrentamento à pandemia.

Alguns senadores da CPI da Covid reproduzem este entendimento equivocado. O site Brasil Sem Medo também equivocou-se ao abordar o assunto, ao afirmar em reportagem que “o ex-ministro do governo federal defende estratégias de imunidade de rebanho que propõe que a pandemia de covid-19 pode ser superada após um alto número de infectados pela doença”.

O equívoco reside na ideia de que imunidade de rebanho é algo que possa ser “defendido” como se fosse uma opção de escolha do gestor público. Neste aspecto, o Dr. Osmar Terra foi taxativo ao esclarecer este ponto:

A chamada imunidade de rebanho nunca foi uma estratégia de gestão pública para o enfrentamento à pandemia. A imunidade de rebanho é o resultado da evolução de uma pandemia e a constatação sobre a maneira pela qual esta pandemia termina.

O conceito está presente em todos os livros de imunologia, e mostra que a partir de um determinado número de pessoas imunizadas de modo natural ou por meio de vacinação, número este que é considerado como sendo em torno de 70% da população em questão, o vírus perde a potência de se propagar e a pandemia acaba.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE