por paulo eneas
O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) segue preso nesta sexta-feira (25/06) apesar de ter sido realizado o depósito bancário no valor de R$100 mil correspondente à fiança imposta ao deputado pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

Conforme mensagem publica em sua rede social pelo deputado federal Carlos Jordy (PSL-SP) na tarde desta sexta-feira, a conta bancária na Caixa Econômica Federal indicada pelo magistrado para o pagamento da fiança foi inexplicavelmente desativada, e o valor depositado foi estornado de volta em favor do depositante, o advogado de Daniel Silveira.

Os advogados de defesa já formalizaram o pedido junto ao Supremo Tribunal Federal para que uma nova conta bancária seja indicada para a realização do depósito correspondente ao pagamento da fiança.

O deputado Daniel Silveira segue preso, configurando uma situação absolutamente inusitada e kafkiana: o deputado está preso por não conseguir pagar uma fiança que, por sua vez, não pode ser paga por inexistir uma conta bancária na qual o pagamento possa ser efetuado.

O episódio reveste-se de ume escárnio institucional sem precedentes no que diz respeito tanto aos direitos fundamentais do próprio deputado, incluindo suas prerrogativas de imunidade parlamentar, quanto aos procedimentos judiciais comuns.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE