por angelica ca e paulo eneas
Um grupo de cientistas de renome internacional publicou uma carta aberta pedindo uma nova investigação internacional abrangente sobre as origens da pandemia do vírus chinês. Os cientistas também forneceram soluções para o possível cenário em que o regime comunista chinês não venha a cooperar com a investigação.

O grupo é formado por 31 cientistas e médicos renomados de diversos países, incluindo França, Espanha, Itália, Alemanha, Áustria, Nova Zelândia, Índia, Austrália, Estados Unidos, Canadá e Japão. Os cientistas lembram que apesar do vírus chinês ter se espalhado há mais de um ano no mundo inteiro, sua origem ainda não foi identificada.

A carta também aborda a tentativa do regime comunista chinês de eliminar os dados relacionados à origem do vírus na China:

“As medidas tomadas pelo governo chinês para ocultar as origens e impedir que especialistas chineses compartilhem certas informações essenciais e dados detalhados, mostram claramente que se não houver mudanças no contexto atual, não haverá possibilidade de se fazer uma investigação completa ou confiável para todos os cenários possíveis”.

“Pedimos novas pesquisas científicas de todas as hipóteses plausíveis sobre a origem do vírus, com acesso ilimitado a todos os arquivos, amostras e pessoal relevantes na China e em outros lugares, se necessário”, os cientistas insistem na carta. A direção da investigação deve incluir a possibilidade de o vírus ter vazado do laboratório, sugere a carta, referindo-se ao Laboratório de Virologia de Wuhan, na China.

O grupo sugere também na carta que caso o regime chinês não venha cooperar em tal investigação, deverá ser aberta uma missão internacional de levantamento de fatos sem a participação da China, e que esta missão deverá ser liderada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Grupo dos Sete Países Mais Industrializado (G7) ou outras instituições.

“Um esforço bem organizado e combinado, livre de interferências, utilizando todas as fontes de informação disponíveis e envolvendo um grande número de especialistas, poderá fornecer as evidências inequívocas para apoiar uma hipótese específica sobre as origens da pandemia”, afirmam os autores.

A sugestão se baseia no fato de que existem dados suficientes disponíveis ao redor do mundo para essas pesquisas, argumentam os cientistas:

“Um grande número de informações detalhadas altamente relevantes podem ser coletadas sem o envolvimento das autoridades chinesas. Muitos cientistas governamentais e privados em todo o mundo já coletaram e começaram a analisar uma quantidade significativa de dados relevantes”, afirmam os cientistas.

Poe fim, a carta aberta sugere ainda que a investigação precisará da cooperação dos Estados Unidos e da União Europeia para compartilhar documentos e dados. Informações de Israel Notícias | The Epoch Times.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE