por angelica ca e paulo eneas
Cingapura, um dos países asiáticos que melhor administrou a pandemia do vírus chinês, declarou que a partir de agora o vírus será tratado como outras doenças endêmicas, como a gripe. O plano pode se tornar um modelo para outros países que buscam retornar à vida normal após dezoito meses de restrições.

Não haverá metas de transmissão zero, e o governo planeja não anunciar mais números de casos diários de Covid-19. A quarentena será descartada para os turistas, as medidas de bloqueios e rastreamento serão eliminadas e o contato de pessoas próximas aos infectados não terá que ser isolado.

O anúncio foi feito pelos principais ministros de Cingapura que integram o grupo de trabalho do governo sobre a pandemia, e marca uma mudança radical do modelo de transmissão zero adotado por diversos países da Ásia e do Pacífico. Modelo este que, embora tenha se comprovado bem-sucedida para prevenir grandes surtos, prevê medidas de quarentena rígidas com penalidades severas.

A ideia central é que, como possivelmente a Covid-19 pode nunca desaparecer, é possível conviver com ela normalmente, segundo entende os ministros do Comércio, Gan Kim Yong, das Finanças, Lawrence Wong, e o ministro da Saúde, Ong Ye Kung. O posicionamento destes ministros foi explicitado em artigo no jornal Straits Times esta semana.

O vírus continuará a sofrer mutação e, portanto, sobreviverá em nossa comunidade. Todos os anos muitas pessoas pegam gripe. A grande maioria se recupera sem ser hospitalizada e com pouca ou nenhuma medicação. Mas uma minoria, principalmente os idosos e as pessoas com comorbidades, podem adoecer gravemente e alguns sucumbir”, afirma o governo.

“Não podemos erradicar o coronavírus, mas podemos transformar a pandemia em algo muito menos ameaçador, como a gripe ou a catapora, e seguir em frente com nossas vidas”, afirmaram os três ministros.

Embora tenha adotado medidas draconianas de quarentena, regras sobre reuniões sociais e uso de máscaras, bem como rastreamento de pessoas, Cingapura foi vista como uma história de sucesso no controle do vírus, graças também aos rígidos controles de fronteira: A cidade-estado de 5.7 milhões de habitantes teve um saldo de apenas 36 mortes desde o início da pandemia e registrou uma média de 18 casos por dia em maio.

Cingapura detectou que alguns cidadãos totalmente vacinados contraíram Covid-19, mas nenhum deles apresentou sintomas graves. À medida que mais pessoas forem vacinadas, Cingapura rastreará casos de covid-19 semelhantes ao que faz para a gripe, monitorando pessoas que ficam gravemente doentes ou em unidades de terapia intensiva. As pessoas infectadas podem se recuperar em casa.

“Em vez de monitorar os números de infecção Covid-19 todos os dias, vamos nos concentrar nos resultados: quantos ficam gravemente doentes, quantos estão na unidade de terapia intensiva, quantos precisam ser intubados para oxigênio, como monitoramos a gripe”, explicaram os ministros.

O governo também propõe testes em ambientes específicos, como antes de grandes eventos sociais ou ao viajar de volta do exterior, em vez de rastrear e colocar contatos próximos em quarentena. Os ministros afirmam ainda que, no futuro, utilizarão métodos de teste mais rápidos do que o atual PCR, o que permitirá uma detecção mais oportuna dos casos positivos. Informações de The Straits Times | Business Standard.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE