por camila abdo e paulo eneas
O presidente do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que até a segunda quinzena de junho era um entusiasta do voto impresso, afirmou nesta segunda-feira (05/07) que posicionou-se contrário à proposta de emenda constitucional que cria o mecanismo de impressão e auditabilidade do voto. Segundo Rodrigo Pacheco, ele “confia nas urnas eletrônicas”.

Usando sua costumeira retórica evasiva pretensamente conciliatória, o presidente do Senado Federal, eleito para o cargo com apoio do governo, afirmou que ele confia na Justiça Eleitoral brasileira e nas urnas eletrônica: ”

“Não identifico indício algum de fraude nos resultados eleitorais do Brasil. Portanto, essa é uma opinião que tenho, que o sistema eleitoral deveria continuar pelo sistema eletrônico”.

A fala do senador é enganadora, pois a PEC do voto impresso não elimina o sistema eletrônico de votação, mas tão somente institui mecanismo de auditabilidade, que atualmente é inexistente, por meio da impressão em papel e coleta automática, sem contato da parte do eleitor, do voto dado pelo eleitor.

Integrantes da cúpula do Justiça Eleitoral vem atuando abertamente junto aos presidentes dos partidos, incluindo partidos do Centrão que formam a base governista, para inviabilizar a proposta de voto impresso. Aparentemente, a mudança de posicionamento do senador Rodrigo Pacheco reflete essa atuação. Informações Revista Oeste.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE