por paulo eneas
A esquerda tentou uma manobra na Comissão Especial da Câmara dos Deputados que iria analisar a PEC do voto impresso auditável na tarde desta sexta-feira (16/07). A comissão reuniu-se por autoconvocação do grupo de deputados contrários à PEC. Iniciados os trabalhos, foi colocada uma questão de ordem sugerindo que a PEC fosse retirada de pauta. A avaliação é que se a proposta fosse votada hoje ela seria derrotada.

A maioria rejeitou a questão de ordem, e os trabalhos prosseguiram. O presidente da comissão, deputado Paulo Eduardo Martins (PSDB-PR), consultou o regimento e entendeu-se que, como havia sugestões de alterações ao texto acatadas pelo relator, seria necessário conceder um prazo adicional ao relator para a elaboração de uma nova redação. Desta forma, a sessão da comissão foi encerrada.

Os deputados da esquerda tentaram uma manobra: o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) assumiu irregularmente a presidência dos trabalhos, com a intenção de colocar a PEC em votação. No entanto, a manobra não encontrou amparo regimental, e a Câmara dos Deputados encerrou a transmissão da sessão pelo seu canal no youtube. A PEC prossegue sob análise do relator Filipe Barros (PSL-PR), e a comissão volta a se reunir em agosto, após o recesso parlamentar.

O Crítica Nacional acompanhou ao vivo a sessão da comissão e analisou o andamento dos trabalhos, conforme mostra o vídeo abaixo.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE