por paulo eneas
A Proposta de Emenda à Constituição que cria o mecanismo de auditabilidade dos resultados eleitorais via impressão do voto eletrônico corre risco de ser sepultada nesta sexta-feira (16/07) na comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a proposta. Integrantes da comissão que são contrários ao voto auditável convocaram uma reunião para esta sexta-feira, que poderá sepultar a proposta.

Conforme o Crítica Nacional informou no artigo PEC do Voto Impresso Sofre Revés Na Comissão Especial da Câmara dos Deputados Após Reunião de Partidos Com TSE, publicado em 1o de julho, após reunião entre integrates do Tribunal Superior Eleitoral e os presidentes de onze partidos políticos, incluindo partidos do Centrão, a composição da Comissão Especial que analisa a PEC foi alterada, para formar uma maioria contrária à proposta.

Segundo informa a Revista Oeste, a iniciativa contrária à PEC é liderada pelo deputado Hildo Rocha (MDB-MA) e conta com apoio de todos os partidos de esquerda, além de partidos do Centrão. A nova maioria tentará rejeitar o relatório favorável do deputado Felipe Barros (PSL-PR) e afastá-lo da relatoria, colocando no lugar um parlamentar contrário à proposta.

O cenário mais provável de momento é que a PEC do Voto Auditável seja derrotada na comissão, e desta forma sequer irá ao plenário da Câmara dos Deputados. Caso isto ocorra, será resultado da atuação militante de magistrados, que articularam contra a proposta. Será também resultado da atuação do Centrão que, apesar de ocupar e controlar várias posições na máquina governamental, mais uma vez irá posicionar-se contra o próprio governo.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE